Insights Tendências

Tendências de mercado: entenda os processos cocriativos

por Martin Luz em 21/10/2020

Compreenda como funcionam os processos cocriativos, essa nova tendência do mercado que integra os setores para a criação de uma campanha. 

Até pouco tempo atrás, a grande maioria das agências achavam que, para um time de criação ser produtivo, eles teriam que ficar isolados, trabalhando apenas entre eles. Porém, os tempos mudaram e hoje em dia o que mais tem chamado atenção como uma nova tendência de mercado é a cocriação.

Neste texto, explicaremos o conceito de cocriação e como os processos vêm sendo usados de maneira positiva na criação de campanhas. A integração entre os setores promoveu ações cada vez mais eficazes e diretas ao consumidor, mostrando o poder de trabalhar juntos. Confira!

O que é cocriação?

Em um processo de cocriação, os profissionais de uma empresa se dedicam a entender melhor o que o consumidor procura. Na parte de criação, esse processo é basicamente integrar com outras áreas, como marketing e gestão de contas, para entender melhor a persona do cliente antes de criar uma ação.

A ideia deste conceito é aproximar os times dentro da agência e também o cliente, para que as campanhas sejam cada vez mais assertivas. Desta maneira, o time de criação, que antes trabalhava em dupla ou entre o setor, passa a trabalhar em conjunto com diversas áreas.

De fato, com a integração entre os times, desde a parte de brainstorm até a finalização da campanha, as realizações tendem a ser cada vez mais verdadeiras. A imersão de todos os colaboradores para fazer com que todas as ideias do cliente se encaixem de maneira clara, é um trabalho não apenas do time de criação.

Para que uma estratégia de cocriação funcione de maneira correta e eficaz, é preciso seguir os 4 pilares principais, que são:

  • Acesso aos recursos e informações por ambas as equipes;
  • Diálogo entre as partes para entender e alcançar os objetivos traçados;
  • Compreensão dos benefícios e riscos desta estratégia;
  • Transparência nas ações executadas.

A integração com o time de marketing é feita através de pesquisas que descrevem o perfil do cliente e de seu público. A transformação daquele bate-papo que o time de gestores da conta teve com o cliente para saber o que ele está pensando nas próximas campanhas. Todas essas informações vindo de cada equipe, faz com que a cocriação funcione de maneira eficaz no decorrer da campanha.

Portanto, o modelo antigo de trabalho onde era apenas a dupla de criação que tocava toda a campanha, está deixando de existir.

A análise de dados está sendo o maior aliado da criação

Unir a área de análise com a área de criação pode ser mais fácil do que imagina. Muitas pessoas entendem as duas como dois extremos, uma sendo mais lógica, com números e estatísticas e a outra mais ligada ao lado artístico e emocional. Porém, elas podem ser grandes aliadas quando se trata da criação de uma campanha.

A união destas áreas pode ser mais do que simples insights fornecidos para pequenas análises, elas podem seguir juntas do início ao fim. Para os profissionais de marketing, que estão envolvidos neste plano de cocriação, elas permitem analisar melhor a performance de cada criativo.

Analisar o desempenho de campanhas anteriores é o primeiro passo para fazer com que a base de dados e a criação se alinhem. É essencial entender como o seu público alvo está reagindo às campanhas e quais mensagens eles mais se identificam. Direção de arte, fotografia, conceito, CTAs, cada detalhe deve ser analisado.

Outro ponto importante nesse momento é desenhar os processos de criação que envolvam diversas equipes. Como dito acima, o processo de cocriação é baseado em trabalhar juntos com as áreas interligadas para montar uma ótima ação para o cliente.

Desta maneira, é importante conhecer o público alvo e ter sempre relatórios de outros setores antes de começar qualquer processo criativo.

Quando todos trabalham de forma colaborativa, o time de marketing ajudando o time de criação, por exemplo, é possível criar uma campanha com mais relevância ao consumidor. Dessa mesma forma, utilizar referências de ações anteriores, procurando melhorias para próximas e evitando qualquer tipo de erro, é essencial.

O processo cocriativo na Martin Luz

Na Martin Luz, os processos cocriativos já fazem parte do organograma da empresa há algum tempo. Muitas pessoas acreditam que os processos criativos funcionam apenas como um “dom”, se tornando uma das maiores inverdades do mercado. Não é graças a um estalo que os criadores têm as ideias para produzir as campanhas.

Tudo está em volta de uma série de processos que compõe até a parte final da criação. Pesquisas, conversas, referências, validações. Tudo está em torno de todo o processo criativo. Por isso, a cocriação tem se tornado cada vez mais importante na Martin, pois ela engloba informações de diversos setores para criar a melhor campanha possível.

Diante disso, quem sai ganhando é sempre o cliente, afinal, conhecimento vindo de diversas áreas, junto com a competência de todo um ecossistema, é garantia de inovação. Mostrando que trabalhar em conjunto, em muitos casos, pode ser a melhor opção para transformar as ideias em grandes campanhas.

De fato, estar cada vez mais próximos dos clientes, compartilhando, conhecendo e aprendendo com eles, faz com que fique sendo mais fácil sanar os problemas. A Martin Luz busca sempre essa proximidade dos times com os clientes, em todos os processos da criação, para que não passe nenhum detalhe.

A cocriação é o caminho para o futuro, mesmo que esse caminho já esteja bastante avançado em diversas empresas. A integração entre os times tende a ser uma experiência repleta de bons resultados, tanto interno quanto externo.