Insights Tendências

Data Strategy: entenda toda estrutura para aplicar em sua empresa

por Rodrigo Bibiano em 09/11/2020

Você já ouviu falar sobre Data Strategy? Entenda como funciona esse conceito e, com a ajuda da Martin Luz, como introduzi-lo nos processos da sua empresa.

Com o passar dos anos, as empresas discutem processos e relatórios, buscando algum jeito de otimizá-los. O Data Strategy faz parte desta busca: para encontrar as melhores formas de tomada de decisão. 

Isso é uma visão permanente da organização, para aproveitar todos os recursos relacionados a dados ou que dependem de dados. De fato, isso vem ajudando as empresas a melhorar em relação à experiência do usuário, a partir dos relatórios obtidos com web analytics e CRO.

No conteúdo de hoje, vamos falar sobre o que é o conceito de Data Strategy e como ele funciona em nosso dia a dia. Aqui na Martin Luz, por exemplo, usamos ele praticamente do início ao fim dos processos.

O que é Data Strategy?

O Data Strategy, ou Estratégia de Dados, é um conjunto de decisões que são tomadas para alcançar determinados objetivos, ou seja, consiste em usar as informações obtidas para conseguir alguma vantagem no mercado.

Essa é uma visão abrangente que permite que a empresa aproveite todos os recursos relacionados aos dados ou que dependam de dados. Esses recursos podem ser BI, CRM, Big data e outros diversos. 

Young businessman multitasking using laptop.Business technology lifestyle.strategy planning.research information concept.working in modern workplaces.

Mas não é apenas obter todos esses dados; o mais importante nessa estratégia é saber o que fazer com eles. Isso acaba se tornando fundamental para o sucesso da empresa em diversos setores, se tornando também um dos maiores desafios.

Estudos apontam que as empresas utilizam menos da metade dos dados que detêm para auxiliar na tomada de decisão. Além disso, 80% do tempo dos analistas é gasto para preparar os dados que serão analisados e 70% dos funcionários tem acesso a dados que não estão relacionados ao seu setor.

Para que a estratégia funcione de maneira mais eficaz, existem alguns outros pontos que podem servir para apoio e entendimento do Data Strategy:

  • Uma boa estratégia define quais perguntas devem ser respondidas e, a partir dessas respostas, melhorar os negócios;
  • Identifica os dados que devem ser coletados;
  • Detalhamento dos conjuntos de habilidades das pessoas que fazem a análise e quais as ferramentas necessárias;
  • Ajuda a entender e como preparar a empresa para colocar a estratégia de negócios em ação.

Entenda a importância do Data Strategy

Muitos especialistas afirmam: “os dados são o petróleo da era tecnológica”. Independente do setor em que a empresa atua, para que ela sobreviva ao montante de concorrentes, é preciso saber usar os dados corretamente, principalmente quando falamos em tempos de transformação digital, onde tudo passa rapidamente.

Hoje em dia, grande parte das empresas possuem os dados para começar a implementação de uma estratégia, porém ainda patinam na hora de gerar valor a esse material.

Dessa maneira, é preciso melhorar a análise de dados gerados pelos consumidores, para promover produtos e serviços que atendam às suas necessidades.

De fato, ter um propósito e uma estratégia para coletar esses dados é o primeiro passo de uma estratégia de sucesso. Além disso, é preciso saber o que fazer com esses dados colhidos e transformá-los em material para a tomada de decisão.

Com o uso do Big Data, por exemplo, as empresas conseguem criar uma certa vantagem competitiva no mercado em relação à concorrência. Além disso, elas tendem a melhorar o seu desempenho, desde campanhas até a pós-venda.

De certa forma, é claro que, para que a Data Strategy funcione de maneira correta, é preciso uma fonte confiável de dados e ferramentas atuais para captura e coleta.

Ao mesmo tempo que a quantidade de dados disponíveis aumenta, questões de privacidade, responsabilidade e proteção se tornam cada vez mais indispensáveis.

Por onde começar o Data Strategy?

Aqui na Martin Luz, o Data Strategy começa a partir de dois grandes pilares. O primeiro pilar é o de Web Analytics, e o segundo é o pilar de CRO. Para melhor entendimento, abaixo é possível conferir cada um desses pilares.

Pilar web analytics

Este primeiro pilar é a chave para começar uma boa estratégia. O Web Analytics é uma análise de dados qualitativos e quantitativos sobre a experiência do usuário em um site. Esses dados são analisados para uma melhora constante, a fim de atingir bons resultados.

Existem poucas agências no mercado especializadas apenas em Web Analytics. O que é mais comum de encontrar são profissionais que trabalham com performance (SEO, Google Ads e comparadores) que realizam este trabalho.

O trabalho de Web Analytics envolve:

  • Analisar constantemente o desempenho das visitas, conversão, campanha de marketing e vendas;
  • Acompanhar o desempenho das campanhas e acessos em sites através das ferramentas de Web Analytics;
  • Elaborar relatórios de acessos e desempenho;
  • Analisar dados do site a partir de insights para melhoria constante;
  • Mensurar cohorts, life time value, payback de cada canal de marketing;
  • Analisar experiência do usuário no site;
  • Mensurar verba de marketing por canal, calculando projeção de ROI;
  • Configurar todo o setup para garantir que os dados analisados são confiáveis.

Mas o web analytics não se trata apenas de coletar números: é preciso haver profissionais que ajudem a coletar e tratar esses números, desde a estratégia e configuração até uma análise mais profunda para melhorias no site.

Com o aparecimento de novas tecnologias, o acesso à internet tornou ainda mais clara o desenvolvimento de uma solução para mensurar esses dados em diversos dispositivos.

Quando fica entendido o papel que sites e aplicativos móveis desempenham nas metas de negócios, é possível trazer uma nova perspectiva para os padrões de interação. Pois quando se conecta a experiência do usuário aos insights obtidos, é possível ter ótimos resultados.

Pilar de CRO

O segundo pilar é o de CRO (Conversion Rate Optimization ou, traduzindo para o português, Otimização de Taxa de Conversão). Esse pilar garante melhores resultados para sites, aplicativos e landing pages, baseado nas taxas de conversões.

De fato, os resultados obtidos através do CRO podem trazer diversos benefícios para o seu site, consequentemente contribuindo para o crescimento de sua empresa na internet.

Por exemplo, você tem uma landing page que atrai 1000 visitantes todos os meses, porém apenas 100 fazem o download da sua oferta. Quando se aplicam as técnicas de CRO na página, no mês seguinte já é possível notar um aumento.

Não é necessário construir uma outra página, começar do zero para conseguir mais acessos. Apenas melhorando o que já tem, é possível conseguir bons resultados.

Além do clássico preenchimento de um formulário, a conversão também pode ser definida por diversas outras ações dentro do site:

  • Clicar em um banner;
  • Navegar e entender os conteúdos de sessões chave no site;
  • Iniciar um teste de programa;
  • Efetuar uma compra em loja virtual;
  • Pedir o contato de um vendedor.

Portanto, para definir qual tipo de conversão se adequa ao seu site, é preciso identificar quais são os seus objetivos. Esses objetivos implicam em resultados que devem ser otimizados utilizando as técnicas de CRO.

Se a intenção é gerar mais leads, criar formulários de landing page ofertando alguma coisa pode fazer mais sentido. Se a ideia é aumentar as vendas de produtos em sua loja virtual, pensar em estratégias voltadas para otimização do e-commerce é o melhor caminho, por exemplo.

De fato, o CRO existe para garantir que o máximo possível do tráfego se traduza em vendas para a empresa, sem perder oportunidades valiosas por conta de algum erro durante o processo de conversão.

Com ele, é possível economizar tempo. Afinal, quanto mais alta for a taxa de conversão, menor será o tempo necessário para atingir as metas.

Melhorar os resultados, sem aumentar a carga de trabalho. Após realizar um teste A/B, é possível aumentar a sua taxa de conversão, apenas com uma nova imagem no criativo, por exemplo. Com os insights dos relatórios, você passa a entender melhor como ele funciona e como aumentar essas conversões.

Por fim, é possível aumentar o seu ticket médio com um bom projeto de CRO. Considerando que é mais fácil vender para alguém que já está levando algum produto de sua loja, é possível ver a oportunidade de ampliar os lucros.

Em vez de simplesmente agradecer ao cliente pela compra, alguns testes e refinamentos no fluxo de páginas de checkout podem ajudar a dar recomendações úteis para os clientes. Assim, a compra pode até dobrar de valor, com os ajustes nesses pequenos detalhes graças ao auxílio do CRO.

Enfim, por meio destes dois pilares, a Martin Luz mostra que é possível fazer mais para melhorar a experiência do usuário dentro dos sites. Com a análise do Web Analytics e as estratégias de CRO, é viável que os planejamentos Data Strategy tenham ótimos resultados.

Para saber mais sobre Data Strategy, clique aqui e entre em contato conosco. Mais do que uma agência de comunicação, nós podemos ser seus parceiros estratégicos.