Insights Tendências

Construindo alicerces para depois que a crise passar

por Martin Luz em 14/04/2020

Dizem que as fortunas são construídas nos momentos de crise e multiplicadas nos períodos de fartura. Sendo assim, em momentos difíceis, a liderança não deve ser baseada somente em orientações, mas no objetivo de manter uma equipe em sintonia entre si e com as estratégias da empresa a curto e longo prazo.

Em tempos em que o contato humano e a comunicação se tornam mais limitados, é preciso ter cuidado no momento de conduzir um projeto, uma equipe e uma empresa, e não focar no que ocasionou os erros – quando já se sabe –, mas sim voltar os olhos para o que poderá solucioná-los. Em tempos em que computadores e celulares são os pontos de contato e comunicação entre pessoas, surge a necessidade de uma conexão ainda maior, o que influencia no fato de que existem coisas que não podem ser mudadas somente por um.

Não se trata somente de evitar momentos difíceis, mas de aceitar que não é possível conseguir a resposta sozinho e, até que a solução chegue, manter a equipe alinhada e na mesma sintonia para solucionar os problemas que irão surgir. Problemas surgem para que, não só líderes, mas todas as pessoas coloquem na prática o que aprenderam em momentos mais seguros. Para isso, ser um bom líder também está relacionado a sentir problemas antes que afetem de alguma forma a empresa e seus colaboradores, mas a liderança exige estar em uma posição vulnerável.

Tomar decisões difíceis rapidamente exige experiência e coragem. Neste ponto, não se trata somente de ter todas as informações à disposição para tomar uma atitude, mas o que você faz com o que tem naquele momento, principalmente considerando conhecimentos obtidos com a experiência. Na Martin Luz, todo conhecimento é essencial – inclusive os que podem ser considerados dispensáveis para o momento. Todas as informações são parte do completo entendimento do problema que precisa ser solucionado. Porém, além de lidar da melhor forma com as informações que você possui, existe a importância de manter todos na mesma sintonia, utilizando recursos que veremos a seguir.

A importância de uma cultura

A cultura é o guia de uma empresa. E nesta ocasião deve ser solidificada e clara para todas as pessoas, principalmente para que todos mantenham o mesmo objetivo: sobreviver aos tempos difíceis e fazer deles fonte de aprendizados e de aplicação dos conhecimentos obtidos em outros momentos. Ela não deve ser limitada apenas ao ambiente interno, mas também estar presente onde e como os colaboradores agem fora dele também, já que é como um guia para que os caminhos sejam traçados de forma segura mesmo em momentos complicados. Em tempos difíceis, a cultura de uma empresa envolve todos os valores que a guiam, uma comunicação aberta, integridade e a saúde da empresa a longo prazo, unindo todas as pessoas envolvidas: líderes, equipes e investidores.

Uma cultura bem estabelecida nunca foi tão importante em um momento em que a conexão não é necessária somente em plataforma e aplicativos para comunicação, mas sim na sintonia para entender e solucionar problemas de forma individual e coletiva. Uma equipe não precisa de pressão para resolver problemas. Precisa de um espaço seguro em que se sinta confortável para discutir, opinar e sugerir soluções.

Comunicação sempre!

Tornar o diálogo mais aberto – principalmente quando o contato humano é diminuído – é uma forma de oferecer um ambiente transparente, além de permitir que todas as pessoas tenham o mesmo entendimento sobre o que e como deve ser feito. Manter essa comunicação constante também é uma forma de reforçar a estratégia estabelecida.

Existe sempre um objetivo maior que deve ser o foco de todos: sobreviver à crise e se reinventar com ela. Manter uma equipe bem informada e a par da situação, ajuda e fazer com que todos entendam o cenário e estejam na mesma página para buscar soluções ou caminhos que reduzam riscos e prejuízos. Possibilitar que uma equipe esteja em total sintonia, é permitir que pequenos problemas sejam solucionados de forma rápida, antes que se tornem gigantes ou que cheguem aos líderes em outro grau de urgência, fazendo com que o objetivo maior seja alcançado com mais facilidade devido ao alinhamento de todos.

Não há como buscar sucesso individual em algo que necessita da energia de um coletivo. Além disso, a importância da comunicação é uma questão de integridade: todos os funcionários merecem construir relações transparentes. Uma relação transparente também reforça o respeito, a confiança e a solidariedade dentro e fora de uma empresa.

A mudança deve ser permanente

Mesmo depois dos momentos difíceis, o sentimento pela busca por novas soluções deve ser constante. Estar parado é permitir estar exposto a riscos. Busque mudanças e aperfeiçoamento sempre! O resultado disso é a preparação para que quando os dias ruins voltem novamente, todos estejam aptos para lidar da melhor forma. Tempos difíceis sempre virão. A questão é quando e se estaremos preparados para eles.

Olhando por outro ponto de vista, a mudança constante não deve ser baseada somente na sobrevivência – seja ela provocada por circunstâncias no ambiente micro ou macro –, mas na busca por ser melhor do que já se é. Todos os dias. 

Na busca por mudanças, nem sempre tomar decisões importantes significa inovar, mas sim evoluir seguindo princípios já determinados e que podem influenciar o presente, principalmente o futuro da empresa. É importante que a situação do momento não atrapalhe o que deve ser visualizado para o futuro a longo prazo. Todas as decisões tomadas em dias, meses e anos devem ser baseadas em um objetivo muito maior do que sobreviver. 

Sabemos o quanto é difícil manter os olhos no futuro quando o presente preocupa e pode até assustar, mas visualizar esse futuro é o que interfere em todas as decisões do presente. Por isso, é tão importante que todos estejam alinhados ao mesmo futuro que pode existir e que as estratégias estabelecidas possam gerar resultados não só no momento de crise, mas a longo prazo.

Liderar em tempos difíceis é uma questão de olhar sempre à frente – juntos – com uma meta definida e entendida por todos. Não se trata somente de orientar. Erros e momentos difíceis surgem como uma oportunidade de crescimento para quem está preparado, mas acima de tudo surgem como oportunidade de aprendizado. Como uma vez li de George Buckley, presidente e CEO da 3M, uma das empresas mais inovadoras do mundo, “Mantenha a fé com o futuro. Se você não investe no futuro e não planeja o futuro, não haverá um”.