Insights Transformação Digital

Como a Transformação Digital acontece em uma empresa financeira?

por Rodrigo Bibiano em 31/08/2020

A Transformação Digital já está acontecendo. A todo momento e em todo lugar. O que resta às empresas atualmente é não serem levadas por ela, mas aproveitá-la.

 

Até há alguns anos, empresas do setor financeiro eram vistas como modelos ultrapassados e burocráticos. Com isso, novos modelos de negócios no mercado financeiro foram criados, contribuindo para a formação de uma nova perspectiva sobre o uso da tecnologia e a Transformação Digital.

Saber aproveitar as oportunidades de uma empresa financeira com a Transformação Digital é, antes de tudo, conhecer o negócio, seus produtos, o seu papel no mercado e suas oportunidades.

A Transformação Digital está acontecendo agora, não no futuro. E para que ela aconteça, existem 3 pilares importantes:

  • Operações: metodologias ágeis e automatização de processos devem reduzir custos e tempo em operações;
  • Experiência do cliente: visando não só fidelizar, mas engajar para transformar o cliente em um divulgador da marca;
  • Modelo de negócio: estruturar e organizar processos, além de criar negócios online, como disponibilizar o mesmo produto ou serviço no mundo físico e digital com suas adaptações.

Para que os pilares sejam implementados, é preciso que as empresas iniciem a transformação no mindset, revendo a estrutura interna e as operações já realizadas, suas necessidades e vantagens no mercado.

O impacto em empresas financeiras

A Transformação Digital não só impacta os modelos de negócios, mas também as tecnologias e como essas empresas atuam, seguindo os pilares que guiam a execução e implementação. Essa transformação acontece no momento em que o cliente tem o primeiro contato com a empresa, até os processos de pagamento, por exemplo.

Com a Transformação Digital e novas possibilidades e tecnologias, um dos elementos que mudaram, foram os formatos de pagamento. 

No Brasil, o lançamento do Pix agendado para novembro de 2020, irá trazer essa realidade para transações entre pessoas físicas e jurídicas. Isso irá possibilitar transações feitas em um curto período de tempo, com mais velocidade e em finais de semana e feriados, por exemplo.

O lançamento do Pix, assim como outros sistemas de pagamento, irá impactar de forma ampla o mercado financeiro, aliado aos novos processos de pagamento com o uso de dados.

A automatização e agilidade de processos, são feitas por meio de dados. Com o Pix, novas tecnologias abrem espaço para a inclusão do Open Banking, que possibilita o acesso a dados de clientes de forma autorizada e explícita, contribuindo para relações mais transparentes e seguras.

Com o Open Banking, o cliente terá todo o poder sobre os seus dados, realizando a transação deles para as instituições que preferir, otimizando e acelerando o compartilhamento de informações por meio de interface de programação de aplicativos (API).

Com isso, grandes bancos terão de compartilhar dados com fintechs, por exemplo, já que a posse das informações será dos próprios clientes. Isso será feito com API’s que, por meio de interfaces criadas por desenvolvedores de empresas de tecnologia, irão disponibilizar os serviços com o conjunto de dados.

O Open Baking irá oferecer mais possibilidades para clientes e empresas do mercado financeiro, que terão acesso a mais dados de forma segura para realizar transações com transparência e tomar decisões de forma mais assertiva, como realizar uma análise dos dados de um cliente antes de disponibilizar um empréstimo, por exemplo.

Com o lançamento de novas tecnologias e processos que otimizam operações, como o Pix e Open Banking, as operações financeiras se tornaram mais seguras, rápidas e eficientes, e os clientes se tornam cada vez mais exigentes. Outro exemplo que está mudando o cenário das empresas financeiras com a Transformação Digital, é o Banking as a Service (BaaS).

O Banking as a Service (BaaS) é uma tendência e ainda novidade no Brasil, oferecendo serviços financeiros para os clientes que antes eram restritos somente aos bancos, como conta de pagamento, cartão pré-pago, transferências, entre outros.

Com o BaaS, toda empresa tem o seu próprio banco, agilizando processos com recursos tecnológicos. Impulsionando a modernização de empresas do ramo financeiro no país, a Martin Luz contribuiu, com o cliente, para o mais novo Bank as a Service: a BPP.

Com expertise no assunto, a Martin Luz trabalha com equipes multidisciplinares e adaptadas ao negócio de cada cliente. Essa ação já contribuiu para o crescimento de projetos e empresas que simplificam relações de pessoas e empresas com pagamentos e gestão financeira, por exemplo.

A Martin Luz Lab

O uso das tecnologias corretas possibilita não só o crescimento a curto prazo, mas a longo prazo também. Em uma pesquisa realizada pela Gartner, 76% dos CFO’s relatam um retorno sobre o investimento em tecnologia.

Isso já indica um mercado mais aberto a conhecer e implementar as tecnologias da Transformação Digital, abrindo cada vez mais possibilidades de concorrência, apesar da grande parte ainda ser resistente. Pensando nisso e em outros fatores, a Martin Luz lançou o Martin Luz Lab.

O Projeto visa potencializar ideias e projetos com a Transformação Digital, atuando com empresas, criando um novo modelo de parceria que visa a criação e desenvolvimento de projetos únicos, e adaptando expertises, talentos e tecnologias de acordo com cada necessidade e objetivo.

O projeto reúne especialistas com experiência em projetos envolvendo empresas financeiras, destacando alguns cases, o que contribui para o desenvolvimento cada vez mais assertivo.

Empresas como Cashforce e Changers já somam na parceria que tem entregado resultados sólidos. Para a Cashforce, empresa de Supply Chain Finance, a criação de um marketplace, alinhada à criação de um método exclusivo, organizou e facilitou o acesso ao financiamento da cadeia de suprimentos de forma mais segura e ágil.

Com uma proposta única, a Cashforce revoluciona um sistema complexo, oferecendo uma relação em que todos os participantes do fluxo da cadeia de suprimentos possam ganhar benefícios.

Já a Changers, é uma consultoria que disponibiliza soluções para que diversas empresas, como as do mercado financeiro, possam começar a inserir seus negócios na Transformação Digital, de maneira que consigam escolher as tecnologias corretas e mais adequadas para cada necessidade e cenário, contribuindo para um investimento mais inteligente.

Nas duas parcerias, a Martin Luz Lab contribuiu para o desenvolvimento das empresas. Adaptando equipes, metodologias e serviços de acordo com cada projeto e objetivo dos parceiros.

Transformação Digital e uma questão de sobrevivência

Apesar de oferecer milhares de possibilidades e vantagens, o mercado financeiro ainda se mostra resistente à Transformação Digital devido aos riscos que ela pode oferecer, se comparada a outros setores que tiveram mais facilidade em incluir soluções.

A necessidade de avaliar caso a caso, exige pesquisa e um trabalho em conjunto de empresas financeiras com especialistas em tecnologia. Um exemplo de como a atuação de empresas especializadas na Transformação Digital com empresas financeiras transforma de maneira positiva os negócios, é a Martin Luz.

Como visto, as mudanças não são passageiras ou restritas a determinados modelos de negócio no mercado financeiro – como as fintechs –, mas estão em todas as empresas que desejam participar do futuro.

Participar da Transformação Digital não deve ser uma opção, mas como participar dela é uma opção. Contar com especialistas que entendem o seu negócio e o desenvolvem em parceria é, sem dúvida, uma das maiores vantagens.

Na Martin Luz, trabalhamos com equipes especializadas no desenvolvimento de empresas do mercado financeiro frente à Transformação Digital e adaptadas às necessidades e objetivos de cada negócio.